LA VEINE

May 19, 2017

I STOPPED USING SHAMPOO FOR 30 DAYS

And let me tell you, it was quite an adventure...! When Hairstory invited me to spend 30 days without using shampoo for their #takeashowerwithus challenge, me and my very damaged hair accepted without hesitation. A month later, there are a lot of things I want to tell you about it. Did I learn more about hair products? Yep. Do I know my hair better now? Definitely. Was it easy? Actually... yes! So without further ado, let's get to it!

E deixem-me dizer-vos, foi uma aventura...! Quando a Hairstory me convidou para fazer o desafio de passar 30 dias sem usar champô, eu e o meu cabelo danificado aceitámos sem hesitar e um mês depois, tenho umas quantas coisas para vos contar. Se aprendi mais sobre produtos de cabelo? Claro. Se agora sinto que conheço muito melhor o meu cabelo? Definitivamente. Se foi fácil? Na verdade, foi facílimo. Se querem saber como a experiência correu, continuem a ler!

May 13, 2017

HOW TO STAND OUT IN THE FASHION BUSINESS

The idea of working in the fashion industry is just as fascinating as it is scary: you watch all the movies and read all the books and suppose that this is an intense, dramatic and absolutely enthralling experience of a lifetime. I don't know much about working in fashion - the things I've learned come from other people's accounts -, but as you already know, studying fashion is definitely very dramatic.
Right now, I'm at this point in my life where everything I do is for my future: graduation will be happening soon (hopefully), everybody's fighting for scholarships or internships and no one wants to spend next summer feeling like they've ran out of options. I know I don't, and I've been doing a few things that might help when it's time to contact people and get noticed. Obviously there is no formula for this and at the end of the day is your work that matters, but maybe I can at least inspire someone who's feeling a little lost and doesn't know where to start. If you want some tips on how to stand out in the fashion biz, just keep on reading!

A ideia de trabalhar na indústria da moda parece tão fascinante quanto assustadora: depois de vermos todos os filmes e lermos todos os livros, supomos que não há experiência mais intensa, dramática ou apaixonante que esta. A verdade é que ainda não sei muito acerca do mundo do trabalho neste ramo - e as coisas que sei, aprendi com colegas e professores-, mas se há coisa que posso dizer-vos é que estudar moda é muito dramático (e ligeiramente traumático).
Neste momento, estou numa fase da minha vida profissional em que tudo o que faço é a pensar no meu futuro: serei finalista em breve (espero eu), toda a gente começa a lutar por bolsas de estudo ou estágios e ninguém quer chegar ao fim do Verão com a sensação de que ficaram sem opções. Eu sei que não quero, e é por isso que tenho andado a fazer umas quantas coisas que vão ajudar quando chegar a altura de contactar pessoas e conseguir um estágio. E embora não exista uma fórmula para isto e que, no final do dia, o que importa é a qualidade do nosso trabalho, talvez este post possa inspirar alguém que se sente perdido ou que ainda não sabe bem por onde começar. Se estão curiosos, continuem a ler!

May 06, 2017

8 HABITS OF INCREDIBLY HAPPY PEOPLE

A year ago, my very wise boyfriend told me that happiness comes from the inside and that it has little or nothing to do with what actually happens in our lives. I was incredibly depressed at the time and this sounded like the stupidest thing I had ever heard: my life was terrible, I hated what I was doing, I felt like my existence was worthless, pointless, meaningless and it was not my fault! I was unhappy because of my teachers. Because of the weather. Because... of circumstances. But there he was, saying that somehow, someone like me could be happy. Regardless of what happened, happiness could and would come from the inside. It was hard to believe in this at the time but oh boy, he was so right.
Life is a bunch of complicated events, I have terrible days, I still hate what I'm doing at the moment and sometimes, I wish I could be a different person. But happiness, the way I see it, is not about living the perfect life; it's about being able to look on the bright side and being grateful for what we have. I don't believe in higher powers, but I do believe that what we give to the world, we get back. And the truth is, a year later, I do feel happier. So if you want to know more about how I did it, keep scrolling!

Há um ano atrás, o meu sábio namorado disse-me que a felicidade vem de dentro; que, na verdade, as coisas que nos vão acontecendo pouco influenciam o nosso estado de espírito. Eu estava extremamente deprimida na altura e lembro-me que isto me pareceu a teoria mais estúpida de sempre: a minha vida era horrível, eu odiava o que estava a fazer e a culpa não podia ser minha! Eu estava infeliz por causa dos meus professores. Por causa do tempo. Por causa... de circunstâncias. Mas ali estava ele, a dizer que, de alguma forma, alguém com a minha vida podia ser feliz. Que independentemente do que me acontecesse, a minha felicidade poderia e deveria partir de mim. Na altura foi quase impossível acreditar nisto, mas o meu namorado tinha razão.
A vida é uma sequência de eventos complicados, eu continuo a ter dias infernais, ainda odeio o que faço e às vezes, gostava de ser outra pessoa. Mas a felicidade, na minha opinião, não precisa do cenário perfeito para existir; a felicidade vem quando somos capazes de olhar para o lado positivo das coisas e nos apercebemos da sorte que temos. Eu não sou religiosa, mas acredito plenamente que aquilo que damos ao mundo volta para nós. E a verdade é que, um ano depois, me sinto muito mais feliz. Se querem saber como consegui, continuem a ler!